terça-feira, 5 de agosto de 2014

Tal prato, tal corpo.

Seja para você que malha e ainda não exibe o abdome que queria, ou quer chegar aos 50 anos com o pique de 30, e com o coração a mil?

Uma reeducação alimentar pode garantir uma vida longa e saudável. Aprenda conosco como combinar esses ingredientes para fazer receitas que, além de saborosas, são ricas em benefícios para o corpo:

Protetores do coração

Azeite

De acordo com a agência reguladora do setor de saúde dos Estados Unidos, consumir duas colheres (sopa) por dia, no lugar da gordura saturada – presente nos embutidos, por exemplo –, pode reduzir o risco de problemas do coração.

Salmão


Coloque peixes gordurosos no cardápio. Ricos em ômega-3 – gordura benéfica à saúde cardiovascular –, eles protegem o coração, reduzindo o acúmulo de gordura no sangue.


Grão-de-bico

O alimento ajuda a regular as taxas de gordura do sangue. É uma boa fonte, que podem reduzir o acúmulo de placas nas artérias e aumentar o colesterol bom (HDL).

Amêndoas

Estudos apontaram que a gordura monoinsaturada das oleaginosas pode ajudar a reduzir o risco de morte por problemas coronários.

Trigo

Estudos que foram publicados recentemente revelaram que ingerir alimentos integrais regularmente diminui o risco de doenças do coração em 20% em comparação com pessoas que os comem raramente.

Rejuvenescedores


Castanha-de-caju

Pesquisadores dizem que castanha-de-caju previne contra a deficiência de magnésio, que pode desencadear o envelhecimento das células e doenças relacionadas à idade.

Cenoura


O legume é rico em luteína, nutriente que pode prevenir a perda da visão ligada à idade, de acordo com estudos chineses.

Curry


As especiarias podem dar uma força no poder cerebral, assim como elas dão no sabor da comida. O curry é rico em cúrcuma, ingrediente ligado à prevenção da doença de Alzheimer, segundo estudos publicados recentemente.

Construtores de músculos

Feijão-preto

Quer pegar mais pesado na malhação? Então aumente a carga dessa leguminosa, que ajuda a prevenir a deficiência de magnésio. De acordo com, a falta deste mineral pode reduzir a performance e a resistência nos exercícios.

Banana-da-terra

Assim como as outras bananas, este tipo é rico em potássio, nutriente que ajuda a formar o glicogênio – fonte de energia que dá potência aos músculos.

Carne

Além de ser uma ótima fonte de proteína construtora de músculos, a carne vermelha é uma das melhores fontes de carnitina, um derivado do aminoácido que ajuda a mitocôndria a transformar gordura em energia.

Pimenta


Um estudo japonês descobriu que a capsaicina, substância que dá o sabor ardido às pimentas, ajuda o corpo a queimar mais gordura durante os exercícios.

Na bolsa de valores da saúde, a pressão arterial é o investimento da vez.

Um levantamento do Ministério da Saúde indicou que nada menos que 18% dos homens entre 35 e 44 anos sofrem do mal. Até os jovens convivem com o problema; 10,4% dos caras de 25 a 34 anos têm pressão alta. Os vilões são velhos conhecidos: tabagismo, álcool em excesso, sedentarismo, falta de sono, má alimentação, sal… Ainda assim, é raro mudarmos de hábitos – por preguiça ou inocência. “Se a pressão se eleva de forma progressiva, os sintomas não aparecem”, alertou o professor de clínica médica da Unifesp.


Tomemos como exemplo o sal: a Sociedade Brasileira de Hipertensão recomenda o consumo de 5g por dia; nossa ingestão chega a 12 g. Pior do que esses números são os riscos gerados pela pressão fora de controle: ataques do coração, derrames, disfunção erétil… Bote a preguiça e a inocência de lado. Você vai ver que manter sua pressão longe de perigo não significa restringir hábitos divertidos. Pelo contrário.

Passe na seção de doces


Dá para baixar sua pressão só com um bom pedaço de chocolate amargo. Um estudo italiano mostrou que pessoas com pressão alta e predisposição ao diabetes melhoraram sua condição comendo 100 g do doce: a pressão sistólica (o número maior) baixou 4,5 pontos e a diastólica (o menor) outros 4,2 graças aos flavonoides – antioxidantes que têm ação vasodilatadora e facilitam a circulação. Em cinco anos, os riscos cardíacos seriam reduzidos em 20%, segundo os pesquisadores.

Mas você precisa comprar o chocolate certo. As versões escuras – amargas, com maior teor de cacau – têm mais flavonoides e benefícios. Um estudo da Universidade Yale (EUA) aponta que o açúcar do chocolate ao leite anula os antioxidantes. “O ideal são produtos com 50% ou mais de cacau”, diz a nutricionista Virgínia Nascimento, vice-presidente da Associação Brasileira de Nutrição. Mas essas vantagens não anulam certo ponto negativo do chocolate: por causa da gordura às vezes excessiva, vale segurar a onda.

Vá para a cama – com ela

Não é só sua relação que vai ser turbinada: o sangue flui melhor se você se exercita na cama duas ou mais vezes por semana. Quem segue essa indicação médica tem um risco 65% menor de desenvolver doenças cardiovasculares (em comparação aos que fazem sexo menos de uma vez por semana), segundo estudo do Instituto de Pesquisas da Nova Inglaterra (EUA). Outra pesquisa, da Universidade de Paisley (Escócia), observou que quem transava a cada 15 dias tinha pressão arterial menor e uma resposta cardíaca melhor ao estresse do que os, digamos, castos.

Não é só exercício físico (30 minutos de sexo queimam 60 calorias). A oxitocina, hormônio que reduz o estresse, é liberada no sexo – em particular no orgasmo. Mas resolver o problema sozinho não ajuda tanto. “A transa, por envolver troca de intimidades, libera mais oxitocina”, diz Stuart Brody, autor do estudo escocês.


Aumente o som

Sacar um fone no trabalho é boa arma de relaxamento. Não só por parar de ouvir o chefe. Um estudo italiano concluiu que 30 minutos de música por dia, combinados a exercícios de respiração, podem baixar sua pressão sistólica em 4 pontos. “Inspirar e expirar numa razão de 1 para 2, ouvindo uma música calma, relaxa as artérias”, diz o cardiologista, que é diretor da divisão de hipertensão do Hospital Geral de Massachusetts (EUA).

Algumas canções funcionam melhor: As com ritmo contínuo – que não variam muito de andamento. É que os batimentos cardíacos se adequam à velocidade da música. Outro estudo, conduzido pelo americano Michael Miller, concluiu que basta sintonizar a melhor música para você: pessoas que relaxavam ouvindo as músicas de que gostavam – fosse Mozart, fosse U2 – dilataram as paredes das artérias em 26%; os que ouviam canções que os deixavam agitados tiveram estreitamento de 6%.

Controlar a pressão pode ser divertido: Chocolate funciona, sexo também.

Brinde à sua saúde

Um estudo da Dinamarca analisou dados de 75 mil homens e descobriu que quem tomava 2 drinques por dia tinha risco 31% mais baixo de doenças coronárias. O álcool moderado alarga as artérias e as torna mais elásticas – isso reduz a pressão.

Só não se anime demais e vire a garrafa; mais de 2 biritas têm o efeito contrário. O americano acredita que o álcool tenha efeitos adversos sobre outros sistemas que interferem na pressão. Pare na segunda latinha ou taça.

Caia na risada

O caminho para viver mais e mais feliz passa por… bem, ser mais feliz. Pesquisa da Universidade de Maryland (EUA) observou que dar risada faz com que suas artérias se dilatem em até 22%. O ato físico de rir faz com que o tecido que forma a parede interna das artérias se dilatam o que aumenta o fluxo sanguíneo.

“O benefício pode ser similar ao da atividade aeróbica – sem dores e cansaço”, afirma Miller, especialista em cardiologia preventiva. Quinze minutos de boas risadas bastam para aproveitar essas vantagens. Mas um sorriso forçado ou morno não ajuda. Para garantir o efeito sobre a pressão sanguínea, recomenda-se uma gargalhada de mexer a barriga. Chame os amigos para falar besteira no bar, compre ingressos para aquele show de stand up comedy e divirta-se!

Pratique no videogame

Jogar tênis alivia a tensão? Desafiar o computador também ajuda seu coração – se você levantar do sofá, com consoles como o Wii e acessórios como o Kinect (que não usam joystick, por reconhecer seus movimentos). Em 2010, a Associação Americana do Coração aprovou o game da Nintendo, recomendando alguns jogos como meios de se manter ativo.

O fisiologista Raul Santo de Oliveira, afirma que esses games podem ser tão bons quanto ir à academia – se jogados de forma sistemática. “Por exemplo, cinco vezes por semana, durante 30 minutos, de forma moderada”, orienta. Sua pressão pode baixar de 2 a 5 pontos.

Monte seu consultório caseiro

Medir a pressão em casa ajuda a prever o risco cardiovascular melhor do que a aferição no consultório, concluiu um estudo finlandês. O problema é a tensão de encarar um médico e a pressa para fazer a medição. “É preciso ficar em repouso por dez minutos antes”, diz o diretor da Sociedade Brasileira de Clínica Médica.


Altere os horários

A pressão sanguínea tende a baixar durante o sono e a aumentar ao longo do dia. Por isso, o ideal é medi-la em momentos diferentes. Caso haja alterações superiores a 50% do nível médio, vale consultar o médico.

Tome notas

Anote a hora da leitura e o que você fez 30 minutos antes. Isso ajuda o médico a detectar problemas. “Você deve consultar um profissional uma vez por ano”, diz o cardiologista Luiz.

Controle a obsessão
Não é porque você tem em casa um bom aparelho que precisa virar enfermeiro de si mesmo. Fazer uma boa medição, uma vez por semana, é sufi ciente para monitorar sua pressão sem ter motivo para paranoia.

Para driblar a gripe, sua avó tinha razão…

Confira com a Singular Medicamentos os mitos e verdades sobre a doença mais comum no inverno:

Tomar sorvete ou sair sem blusa causa gripe: MITO


A gripe é uma doença provocada por vírus. Então, você não vai ficar gripado por conta da friagem em si. Mas fique ligado: “O frio pode reduzir defesas do organismo contra a invasão dos vírus causadores da doença”, explicou o pediatra de São Paulo e membro da Associação Médica Homeopática Brasileira. A aglomeração de pessoas que ocorre mais no inverno (todos buscam lugares fechados para o lazer, como shoppings) também favorece o contágio pelo vírus, já que há maior proximidade entre as pessoas e menor renovação de ar.

Espirros e nariz escorrendo significam que estou gripado: MITO


Você pode estar apenas resfriado. Gripe e resfriado afetam as vias aéreas superiores (nariz, laringe, faringe), mas possuem diferenças. O resfriado é causado por mais de 200 tipos de vírus. A gripe é provocada apenas pelo vírus Influenza. No resfriado, a febre é rara, há coriza e espirros que somem em até sete dias. Já a gripe costuma provocar febre alta por até quatro dias e dura cerca de duas semanas.

Pastilhas de mel ajudam quem está com a garganta inflamada: VERDADE


Estudos comprovaram que chupar pastilhas de mel alivia a garganta irritada, sim. Mas não é só a pastilha de mel que tem esse efeito, a de outros sabores também: o efeito de “umidade” da saliva na garganta é o que faz a diferença nesse caso. “Já o própolis (outra substância produzida pelas abelhas e que pode ser adicionada ao mel) ajuda porque tem efeito anti-inflamatório”, explicou o infectologista do Hospital 9 de Julho, em São Paulo.

Tomar chá quente auxilia a combater a gripe: MITO


O Chá, assim como qualquer outra bebida quente, pode turbinar a sensação de conforto e hidratação. Não combate, porém, o vírus da gripe.

Pôr um lenço umedecido com álcool no pescoço melhora a tosse: VERDADE


Isso provoca sensação de calor, que pode aliviar dor e tosse. “Mas vapores do álcool próximos do nariz podem intoxicar”, alerta o pediatra. Evite fazer isso em locais em que o ar não circula.

VITAMINA C

Para ingerir 500mg dela (mínimo recomendado ao dia), você pode consumir 11 laranjas-lima (equivale a 3 copos de 200 ml de suco), 5 acerolas, 2 copos (200 ml) de suco de caju ou 2 pimentões vermelhos.

Vitamina C ajuda a evitar gripe: VERDADE


A falta da vitamina diminui defesas do organismo e facilita a ação do vírus Influenza. No entanto, não adianta você exagerar na ingestão ou na suplementação dessa vitamina. Seu corpo não absorve mais que 1 g dela por dia. “O que é consumido em excesso é eliminado pela urina”, afirma o especialista. 

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Você sabe o que você deve comer e o que evitar para afastar tumores?

Com o tempo, a ciência vem decifrando quais alimentos fazem a diferença na prevenção (e até no tratamento) dos tumores.

Confira o nosso cardápio com as devidas recomendações:

Dê flores ao seu prato




Brócolis, couve-flor, repolho, acelga, rúcula... Essa família é motivo de respeito quando se fala em comida com vocação para afastar tumores. Abordados em mais de uma palestra no Congresso Brasileiro de Nutrição e Câncer, esses alimentos são uma senhora fonte de glicosinolatos. Quando tais compostos são cortados e mastigados, há uma reação química que dá origem aos isotiocianatos, substâncias muito estudadas por sua ação anticâncer. O mais famoso desse grupo, o sulforafano dos brócolis, ainda atua diretamente sobre o DNA, ativando genes supressores de tumores.


Proteção que vem do mar


Não existe um grande evento científico de nutrição que deixe de contemplar o ômega-3, a gordura dos pescados marinhos. Até porque uma de suas propriedades é defender nosso corpo do câncer. Estudos já associam o consumo de peixes ao menor risco de tumores mamários, por exemplo. Isso porque o mais prestigiado dos ácidos graxos tem um belo efeito anti-inflamatório. "Se o corpo vive em um estado de inflamação crônica, ocorrem agressões às células que podem afetar seu material genético", explica o nutricionista Fábio Gomes, do Instituto Nacional de Câncer (Inca). Para evitar esse processo que culmina na doença, dedique três refeições da semana a sardinha, cavalinha, salmão...

De grão em grão...


...diminuímos a probabilidade de um câncer aparecer. Os grãos, no caso, são de feijão, ervilha, lentilha, soja e até o de bico. As leguminosas, um dos melhores redutos de fibra do planeta, também fazem parte. Essas substâncias interagem com a flora intestinal e colaboram para a formação do bolo fecal. Assim, nos domínios do intestino, fazem com que compostos tóxicos sejam eliminados antes de agredirem as células. As vantagens não se restringem à redução no risco do câncer de cólon. Pesquisas já demonstraram uma associação inversa entre a ingestão de fontes fibrosas e a incidência de tumores de mama e pâncreas. Aliás, os grãos escuros, como o feijão-preto, oferecem mais antioxidantes, legítimos zeladores celulares.

O puro sumo da fruta fresca


 É de perder a conta o número de substâncias encontradas nas frutas com capacidade de resguardar as células humanas. E a cada dia um estudo é publicado relatando as propriedades de fitoquímicos e afins. Na feira, porém, merece destaque a uva vermelha. Experimentos com o suco de uva integral indicam que seus componentes barram inflamações e danos celulares capazes de levar ao câncer. Mas não precisa viver de uva, não. Trate de comer maçãs, laranjas... Até porque uma revisão assinada por estudiosos chineses revela que a ingestão de frutas em geral afugenta tumores gástricos.

Espanta até tumor


O alho encabeça a seleção de alimentos anticâncer escalada pelo famoso oncologista francês. Segundo o professor, o tempero defende principalmente o esôfago, o estômago, os rins e o intestino. Seu talento? "Ele tem um antioxidante poderoso, a alicina", entrega o especialista. "Essa substância estimula o sistema imune a detectar e destruir células cancerosas e ainda pode induzir o suicídio dessas unidades defeituosas", explica. Aproveitamos melhor a alicina quando o alho chega ao prato cru, mas a versão cozida ainda agrega pitadas dela.

Coma com os olhos


É que as cores ajudam a reconhecer uma qualidade dos vegetais: a presença de pigmentos que, dentro do organismo, labutam contra o câncer. Exemplos clássicos são o licopeno do tomate e o betacaroteno da cenoura e da abóbora. Ambos são antioxidantes de primeira, que anulam os radicais livres capazes de danificar o DNA. E olha que eles se tornam mais operantes após passar pela panela. "Os nutrientes da cenoura, por exemplo, são mais absorvidos pelo corpo depois que ela é cozida", diz o nutricionista Sidney, de São Paulo.

Os que devem ser evitados:

O rebanho agradece


Quem não dispensa carne vermelha no almoço e no jantar precisa rever esse hábito. O alerta vem de estudos populacionais que ligam seu consumo exacerbado ao câncer. Isso porque, apesar de ser fonte de proteína e ferro, ela está cheia de ácido graxo araquidônico. "Trata-se de um tipo de gordura saturada com perfil pró-inflamatório", explica a nutricionista Rosângela Passos, da Universidade Federal da Bahia. Se a inflamação é persistente, você já sabe... ponto para os tumores. Já há indícios, aliás, de que ferro em demasia e subprodutos formados na digestão da carne contribuam para danos permanentes às células. Melhor não extrapolar demais a cota de 300 gramas por semana.


Cuidado com o ponto!

Quando a carne é tostada demais - especialmente na grelha do churrasco -, ela fica impregnada de elementos cancerígenos. Esse fenômeno acontece quando um bife é exposto a mais de 300ºC. Por isso, os nutricionistas sugerem priorizar, no dia a dia, o cozimento na panela.

Doçura demais estraga


O açúcar refinado também está pisando nos tribunais do câncer. E pode levar com ele refrigerantes, biscoitos e outros doces. Para o nutricionista Fábio Gomes, a acusação reside no fato de que seu abuso é um dos patrocinadores da pandemia de obesidade - e esta, por sua vez, deixa o terreno fértil para tumores. Só que a biologia já tem outra explicação que ligaria o apetite de formiga ao maior risco da enfermidade. 

Quando se enche a barriga de guloseimas e se esquece das fibras, bactérias patogênicas se proliferam no intestino. "E esse ambiente facilita a absorção de compostos carcinogênicos", revela Rosângela.


Perigo no hot dog


Ninguém vai propor que você nunca mais coloque a salsicha no meio do pão ou petisque um salaminho com os amigos vez ou outra. Mas esses presentes ao paladar devem ser vistos rigorosamente como exceções na rotina. É que os embutidos - e lembre-se de que falamos também de presuntos, mortadelas e linguiças defumadas - têm conservantes, os nitritos e nitratos, que, ao interagir com o suco gástrico da digestão, se transformam em nitrosaminas. "Elas podem se ligar ao DNA e atrapalhar a confecção de proteínas que regulam o ciclo celular", descreve Gomes. Aí já viu... De um erro microscópico surge um problemão. Além disso, embutidos costumam vir lotados de sódio e gordura saturada, outros sabotadores do organismo.

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Os mocinhos e os vilões da sua alimentação.

Você sabia que uma alimentação correta reduz em até 80% o risco de doenças cardíacas? É por essas e outras que constantemente são feitas pesquisas sobre quais alimentos são, de fato, os mocinhos e os vilões do coração. Porém, em torno deste assunto, há vários mitos e dúvidas.

Mocinhos

Encabeçando a lista dos mocinhos está uma delícia que não há quem resista: o chocolate. Em um relatório apresentado na reunião anual da Associação de Cardiologia dos EUA, em Chicago, os pesquisadores afirmaram que o chocolate preto, em pequenas quantidades, pode reduzir o risco de um ataque cardíaco por diminuir a tendência de coagulação das plaquetas, processo responsável por obstruir os vasos sanguíneos. Os flavonoides presentes no chocolate são capazes de reduzir o colesterol ruim (LDL) e pode impedir a arteriosclerose, processo degenerativo que entope progressivamente as artérias.

Castanha, nozes, avelã, pistache e amêndoa 


Também são amigos do coração. De acordo com cientistas, esses alimentos in natura reduzem o risco de males cardíacos entre 25% e 39%, quando consumidos cinco vezes por semana. Isso porque são ricos em vitamina E contém gorduras insaturadas, que aumentam o número de receptores do colesterol ruim (LDL) nas células. Mas, atenção! O chocolate e as castanhas são alimentos altamente calóricos e contribuem para o aumento de peso, portanto, devem ser ingeridos em pequenas quantidades (Exemplo: castanha do Pará – 2 por dia, no máximo).

Os peixes também estão na lista. 


Eles contêm ômega 3, um tipo de ácido graxo que promove uma faxina geral nas artérias. Esse nutriente é encontrado principalmente no salmão, bacalhau, atum, truta e sardinha, diz Patrícia Ramos, coordenadora do serviço de nutrição e gastronomia do Hospital Bandeirantes. 

Outros

Azeite de oliva 


Possui grande quantidade de ácidos graxos monoinsaturado e antioxidantes, sendo um aliado na diminuição dos níveis de colesterol ruim (LDL). Segundo pesquisas, quem consome mais manteiga e outros óleos correm risco de morte três vezes maior na comparação com quem utiliza azeite. 

Alho 


Os compostos sulfurados reduzem a pressão arterial e as taxas de LDL. E impede que o colesterol grude nas paredes das artérias. O ideal é consumir até três dentes crus por dia.

Cebola 


Diminui a formação de placas de gordura que causam a obstrução dos vasos sanguíneos.

Frutas como morango, goiaba e laranja 


Possuem vitamina C, um poderoso antioxidante que também reforça a parede das artérias, por combater a formação das placas de gordura. O ideal é consumir, no mínimo, duas frutas por dia ricas nesse nutriente, recomenda o especiailista. 

Tomate


Rico em licopeno, que tem propriedades antioxidantes capazes de livrar as artérias do LDL. 

Vinho tinto


Contém flavonóides, antioxidante capaz de diminuir os riscos de doenças cardiovasculares.
Café: não há pesquisas que comprovem que ele é maléfico, como dizem. Quem toma café tem menos chances de desenvolver diabetes, e quem tem diabetes e toma café, tem menos chance de ter um infarto. Indiretamente, o café pode ser um grande aliado do coração. 

Ovo
 


Especialistas da Universidade Harvard provaram que o consumo diário não eleva a incidência de infartos e derrames, como diziam. É fonte de proteína de alto valor biológico, vitaminas do complexo A, B, D, E e K e de micronutrientes como colina. Recomenda-se um ovo por dia se a dieta é balanceada e o colesterol normal. Com taxas altas, três por semana.

Vilões

Liderando a lista dos vilões estão as gorduras saturadas. Elas, que facilitam o aumento dos níveis de colesterol ruim (LDL) no sangue, estão presentes na manteiga, gordura das carnes vermelhas, pele das aves, laticínios integrais e na banha. Já os ácidos graxos trans, também relacionados a doenças cardiovasculares, aparecem em alimentos de origem vegetal, como as margarinas

As carnes vermelhas são ricas nesse tipo de gordura. Por isso, reduza o consumo e substitua por peixe ou frango sem pele, recomenda Patricia.


Açúcar, sal e álcool também devem ser evitados. O primeiro, em excesso, ameaça o equilíbrio dos componentes sanguíneos, além de contribuir para a hiperglicemia; o segundo faz com que os hipertensos sofram lesões nas paredes dos vasos. Seis gramas é a dose máxima recomendada de consumo diário de sal. 

E o álcool em excesso pode aumentar os níveis de triglicérides no sangue e obstruir nossas artérias, junto a moléculas de colesterol, provocando um ataque cardíaco. 

Outros:

Gorduras trans, glúten, fast food, bolos e biscoitos, queijos amarelos, requeijão, chantilly e frituras em geral.
Vale registrar que a Sociedade Brasileira de Cardiologia recomenda que pacientes de risco devem ter no máximo 100 miligramas de LDL, o mau colesterol, por decilitro de sangue. Já o número desejável de HDL, ou colesterol bom, subiu de 35 para 40. É importante aliar a uma alimentação saudável bons hábitos, como a prática de atividades físicas e abstenção do cigarro, finalizou.